A Semana Internacional do Café debaterá o futuro e a importância da transparência na cadeia de valor do café

3 de novembro de 2020 0 Por Walison.t.l

Cadeia produtiva cada vez mais transparente: essa é a tendência que o Minas Coffee Origins-Summit debaterá na Semana Internacional do Café, dia 19 de novembro. O webinar iniciado pelo Sebrae Minas é uma das atrações do maior evento do setor cafeeiro do país, que visa divulgar o conceito de origem controlada e sua conexão com o futuro do café. “Precisamos discutir em profundidade nossa demanda futura pelo café brasileiro, principalmente nossas expectativas como maior produtor mundial. Não há dúvida de que esse debate propôs um modelo de cadeia produtiva mais ético e transparente”, Sebrae Minas Agronegócio Explicou Priscilla Lins, gerente de divisão.

Especialistas destacam que os consumidores não se preocupam apenas com a qualidade, mas também com a transparência dos produtos que compõem o produto, por isso, a clareza do processo torna-se fundamental. “Além de querer um produto com sabor diferente, o consumidor também quer garantir que a produção do café seja feita de forma social e ambientalmente responsável. Esses fatores também incorporam o princípio da origem controlada”, enfatizou Lins.

As origens controladas são áreas de produção de café, que vêm sendo demarcadas, organizadas, protegidas e fiscalizadas sob uma nova perspectiva, envolvendo transparência, criação de valor sustentável e influência coletiva. Diante da necessidade de disseminar e simplificar o uso desse conceito, o Sebrae criou a plataforma Minas Café Origens e organizou um seminário para a SIC para divulgar ainda mais essa prática, pois a identificação e autenticação dessas áreas pode dar-lhes uma identidade. Visibilidade e valorização dos produtos produzidos nessas localidades.

Atualmente, Minas Gerais, maior produtor de café do Brasil, divide três regiões para produzir, reconhecer e premiar o café premium global: Cerrado Mineiro, Matas De Minas (Matas de Minas) e Mantiqueira de Minas (Mantiqueira de Minas), além de áreas como a área vulcânica e Chapa de Minas – em cooperação com o Sebrae. Cada uma dessas localidades apresenta produtos com pontuação de SCA (Special Coffee Association) superior a 80 pontos, mas possui características específicas em termos de sabor, aroma, corpo, acidez e paladar, ou seja, as sutilezas que tornam cada As bebidas da região têm personalidade própria.

Para Breno Mesquita, vice-presidente da Faemg Sistemas, preconizado pelo Sebrae, ajuda a consolidar o Brasil com o melhor café do mundo, pois o país tem potencial para atender os mercados mais exigentes, não só em qualidade, mas também Em todos os outros aspectos que são necessários internacionalmente, isso se tornou uma preocupação para os consumidores domésticos. Nosso processo produtivo é desenvolvido de acordo com as mais exigentes normas de sustentabilidade em relação ao meio ambiente e ao trabalho, fatores esses que se tornam cada vez mais importantes na escolha dos consumidores. Além disso, concluiu que cada grão produzido com esse conceito tem um histórico de processamento único, e seu processo de beneficiamento é rico em detalhes, tornando o produto completamente diferente de sua experiência.

Sobre a SIC

A Semana Internacional do Café (SIC) é uma iniciativa do Sistema FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), CaféEditora, Sebrae e Governos do Estado de Minas Gerais por meio da Secretaria Nacional da Agricultura, Pecuária e Aqüicultura Abastecimento Minas Gerais (Seapa). Desde que o SIC foi realizado em 2013 em Belo Horizonte, a capital do maior estado produtor do país, ele está empenhado em melhorar o desenvolvimento do mercado brasileiro e disseminar a qualidade do café nacional para os consumidores domésticos e países de compra. Também melhorou os benefícios econômicos e sociais do Brasil. departamento. Até 2020, devido à pandemia, será 100% implementado em plataformas digitais.

Fonte:

Semana Internacional do Café